A Família e a Igreja



Enquanto os ditames do mundo bombardeiam as famílias, moral e espiritualmente, a igreja é a única instituição onde a família cristã pode refugiar-se e sobreviver aos ataques do maligno (MT 16.18 b). Ao mesmo tempo, não existe a igreja sem a reunião dessas famílias. Dessa forma, a relação existente entre a família e igreja é fundamental para a existência de ambas.
Deus nos ensinou que só existe uma coisa que conduz o seu povo a perdição: a falta de conhecimento (Os 4.6). A igreja é uma porta aberta para o ensino cristão. Em cada momento que nos reunimos, temos uma oportunidade única para estudarmos a palavra de Deus para então aplicá-la, adequadamente, nas mais diversas situações em nossa vida pessoal.
Na igreja, nossos filhos são corroborados em princípios cristãos e instruídos em caráter. Precisamos motivar os nossos filhos e cônjuge a lerem e estudarem a Bíblia (Sl 1.2). O nosso lar cristão quando abre as portas para a palavra, abre tanto para a felicidade quanto para o êxito. Cultuar a Deus no lar nada mais é que cumprir uma ordenança Divina (DT 6.6-9, Pv 1.7-9;6.20).
Quando nos esforçamos em conduzir nossos filhos e família a um relacionamento pessoal com Deus através do ensino da palavra, estamos não somente preparando-os a uma vida saudável e sem contaminação com o mundo, mas, levando-os a se tornarem filhos de Deus maduros e apitos para receberem o Seu galardão.
A igreja tanto é uma extensão de nossa casa, quanto nossa casa deve ser uma extensão da igreja. Tudo começa no lar e não existirá igreja forte se as famílias estiverem fracas. O que conduz qualquer família ao desmoronamento é a ausência de Deus. Em contrapartida, a presença de Deus torna um lar agradável e Pacífico. Numa casa, onde há tempo para se buscar a Deus e adorá-lo a atmosfera é agradável e santa.
A Bíblia nos ensina que se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam (Sl 127.1). O Senhor bate a nossa porta e devemos abrir para que Ele entre, sente à nossa mesa e ceie conosco (Ap 3.20). Quanto mais íntimos de Deus, mais afastados seremos do mundo.
Concluo que o nosso Deus é um Deus de relacionamentos. O pai da eternidade é um Pai amoroso que deseja ser íntimo de todos os seus filhos, instruindo-os na verdade e fortalecendo-os para a vitória. Todavia, o cuidado para que a igreja seja forte cabe a nós. Devemos buscar o conhecimento de Deus através da Bíblia e, também, conduzir nossas famílias pelo mesmo caminho. Essa é nossa responsabilidade, sejamos servos bons e fiéis!


0 comentários:

Postar um comentário