Reflexões sobre o Salmo 23



As palavras do Salmo 23 soam muito familiares em lares cristãos e até não cristãos. Muitos expõem suas palavras em quadros na parede ou até mesmo deixam-nas expostas em suas Bíblias na estante. Pois sua mensagem nos transmite um sentimento de segurança e de consolo, a saber: “O Senhor é meu pastor e nada me faltará”. Porém gostaríamos, neste texto, de estender um pouco mais a reflexão acerca da mensagem contida nesse salmo.
A primeira parte do salmo, citada acima, consiste no seu tema principal. A partir do versículo seguinte, o salmista descreve diversas situações que enfrentamos em nossa jornada cristã. A primeira delas são os “pastos verdejantes e as águas tranquilas” ou “águas de descanso”. Sem dúvida, essas são palavras de consolo para todo aquele que conheceu Jesus. Nele encontramos alívio, descanso e alimento.
Porém, o que nos é apresentado na sequência, é um convite a prosseguir. Após sermos alimentados e confortados em Cristo, o salmista nos convida a dar mais um passo: “guia-me pelas veredas da justiça por amor do Seu Nome”. Nessa situação, nos deixamos conduzir pelo Senhor não somente por Suas bênçãos, mas por amor ao Seu Nome. Ou seja, seguimo-Lo porque aprendemos a amá-Lo. Em seguida, passamos pelo “vale da sombra da morte” – que pode ser definido como situações de grande sofrimento e provação. Mas o Senhor está conosco, não devemos temer, pois “Sua vara e Seu cajado nos consolam”!
No próximo passo, o Senhor “prepara uma mesa na presença dos [nossos] adversários”. Ou seja, é como se estivéssemos numa batalha, no meio de uma guerra e, nessa condição, o Senhor nos convida a nos alimentar Dele. Ele prepara uma “mesa na presença dos nossos inimigos.” Ainda nesse estágio, o Senhor nos “unge com óleo e nosso cálice transborda”, isto é, o Senhor nos forja nas diversas situações para poder nos usar a fim de abençoar outros.
E, por fim, no último passo, a “bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do Senhor para todo o sempre”. Aqui, nesse estágio da vida cristã, nós somos edificados juntamente com outros santos, ou seja, ninguém foi chamado por Deus para servir sozinho. Devemos servi-Lo em coordenação com outros membros do Corpo de Cristo e permitir que o Senhor nos edifique como a Sua Casa.
Esperamos que as palavras desse Salmo possam continuar a servir de consolo e encorajamento para você, caro leitor. Se este artigo abençoou você, compartilhe-o com alguém e acesse nossas redes sociais! Que Deus te abençoe.



0 comentários:

Postar um comentário